Ausência de ácido fólico pode contribuir para o início da demência Guia Cidades - Notícias, Turismo, Negócios, Cultura, Eventos, História
  • Quarta-feira, 12 de agosto de 2020
Portal da Cidade de Ribeirão Preto
Ausência de ácido fólico pode contribuir para o início da demência

Por Dr. Renato B. Bestetti

O estudo e a utilização de vitaminas no diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças neurológicas mudou radicalmente nos últimos anos. Muitas são as substâncias estudadas, mas uma forma de encontrar a vitamina B fartamente encontrada em vegetais de folhas verdes, denominada ácido fólico (AF), de fácil acesso e consumo para muitas pessoas, tem despertado amplo interesse científico. 

Entretanto,  nem sempre foi assim: na década de 60 diversos autores céticos alertavam  para o risco da administração de AF  e subsequente distúrbios no Sistema Nervoso (SN), principalmente no desencadeamento ou agravamento das manifestações neurológicas devido deficiência de outra vitamina, a B12.


Posteriormente,  os benefícios da administração de ácido fólico no tratamento das manifestações neurológicas decorrentes de anemia megaloblástica,  por deficiência do próprio ácido fólico, foram óbvia e amplamente reconhecidos.


Mais surpreendente, na década de 90, o uso de AF durante a gestação foi o impacto definitivo para a prevenção de defeitos no tubo neural que produzem doenças neurológicas no feto. Assim, o ácido fólico passou de vilão a herói em apenas algumas décadas e hoje tem sido pesquisado em diferentes condições.


Recentemente, Kim e colegas coreanos associados com Stewart da Universidade de Londres (Journal of Neurology, Neurosurgery and Psychiatry 2008;79:864-868) estudaram  a concentração sérica (sanguínea) de ácido fólico, vitamina B12 e do aminoácido homocisteína em 625 pacientes idosos sadios em  relação ao surgimento de demência.

Destes pacientes, 518 foram avaliados continuamente por um período mínimo de 2 e 4 anos, com exames médicos e laboratoriais. Seu principal resultado foi: a diminuição da concentração sérica de ácido fólico no início do estudo (3,5 % dos pacientes) sugeria um potencial surgimento de demência, relação tanto mais forte quanto mais reduzidos os valores de ácido fólico e aumentando o risco em até 3,5 vezes quando comparados àqueles de concentração normal.


O que este estudo quer dizer na prática? A baixa concentração sanguínea de ácido fóloico pode ser uma das complexas etapas diretamente envolvidas no surgimento de alterações cerebrais que contribuem para o início da demência - uma relação causal (?!),  ou então ser mais um achado laboratorial decorrente de outros processos, por exemplo, mudanças na dieta secundárias à doença.

Além disso, esta pesquisa reforça a associação entre dieta e sistema nervoso em idosos. Enquanto novas pesquisas são necessárias , o governo britânico, que não é nada bobo, pensa adicionar ácido fólico em pães e farinhas.


Veja mais notícias sobre Saúde em Foco no Blog:

www.cidadederibeiraopreto.com.br/saudeemfoco/





Veja Mapas atualizados de Ribeirão Preto


Anuncie aqui

Veja também :


ultimas noticias

Destaques



Classificados do Jornal da Cidade/Ribeirão Preto


Classificados do Jornal da Cidade: Veículos, Imóveis, Diversos.


Sua empresa ainda não tem site?